Faça um overclock para turbinar seu PC


Se você quer obter o máximo de desempenho de seu PC, mas não quer gastar um centavo com upgrade de hardware, nós temos a solução: veja como fazer um “overclock” de seu processador, placa de vídeo e memória para levar seu hardware um pouco além do comum.
Mas atenção! Com um overclock, você estará fazendo os componentes de seu PC trabalharem além dos limites para os quais foram projetados, e sem alguns cuidados há um risco real de danificar o hardware. Modificações como estas podem invalidar a garantia de seu PC, e nenhuma loja irá trocar peças danificadas por um overclock mal-feito. Antes de sequer abrir o gabinete, tenha certeza de que você está disposto a assumir a responsabilidade pela “morte” de seu PC caso algo dê (muito) errado.
Preparação
É importante ter à mão alguns softwares para medir o impacto de suas modificações. O CPU-Z é útil para ver a quantas anda o processador e a memória, e seu “primo” GPU-Z faz o mesmo pela placa de vídeo. O HWMonitor é outra opção interessante, já que pode monitorar voltagens e temperatura de vários componentes da máquina de uma só vez.
Além disso, limpe o gabinete do PC e tenha o cuidado de mantê-lo o mais “frio” possível. Componentes trabalhando além das especificações geram mais calor, e o acúmulo dele pode causar um superaquecimento do PC que irá levar a instabilidade ou até danos no hardware. Não é uma má idéia instalar mais um ventilador para remover o ar-quente do gabinete, por exemplo, e verificar se a refrigeração do processador é adequada. 
Tenha em mente que as modificações que mencionamos aqui exigem a modificação de parâmetros na BIOS do computador, e ela varia de modelo para modelo de PC. Portanto, podemos dar apenas algumas “linhas gerais” do que modificar, e não instruções específicas. Alguns computadores comprados “prontos”, especialmente modelos de grandes fabricantes, podem ter BIOS simplificadas que dão poucas opções de configuração, limitando o potencial. Nesses casos, não há muito o que fazer.
Overclock do processador
A “velocidade” (clock) de seu processador, como anunciada pelo fabricante, é calculada multiplicando uma frequência base por um multiplicador. Para fazer o processador operar com um clock maior, é necessário modificar uma destas variáveis. Se você não tem um processador “desbloqueado” (como um Intel Série K ou Extreme Edition, ou um AMD Black Edition) terá menos flexibilidade nestes ajustes, mas ainda assim poderá conseguir um desempenho um pouco maior.
Tentamos fazer um overclock em uma máquina de testes equipada com um processador Intel Core i7-2600K, que originalmente roda a 3.4 GHz (número conseguido multiplicando a frequência base do processador, que é de 98 MHz, pelo multiplicador, 34x). Com um processador da série K você pode facilmente modificar o multiplicador na seção “Performance” na BIOS do computador. Experimente aumentar o multiplicador em uma unidade (35x), salve as modificações, reboote o PC e tente carregar o Windows. Se você não receber mensagens de erro e o PC não reiniciar furiosamente, está no caminho certo.
Abra o CPU-Z para verificar se as modificações que você fez estão mesmo valendo. Na aba “CPU” observe os números nas seções “Core Speed” (que deve flutuar conforme o uso da máquina) e “Multiplier” (que deve corresponder ao que você colocou na BIOS). 
Por fim, rode um benchmark para “estressar” o processador nesta nova configuração. Use o Torture Test do Prime95 ou o LinX para levá-lo ao limite. Se seu computador não tiver uma tela azul nem reiniciar subitamente depois de algumas horas com estas ferramentas, então provavelmente está tudo OK. Você pode ficar com esta configuração ou, se quiser, repetir o processo para tentar ir um pouco mais além.
Overclock da RAM
Sim, também é possível “turbinar” a RAM. Antes, certifique-se de que você tem pentes de RAM idênticos, com a mesma velocidade e do mesmo fabricante. E suas chances de sucesso serão melhores com pentes de RAM de fabricantes consagrados (Kingston, Crucial, etc) do que com marcas “genéricas”, já que os primeiros costumam ser produzidos com tolerâncias maiores. Na prática é muito mais fácil (e seguro) comprar mais RAM mais rápida do que fazer um overclock, mas se você chegou até aqui provavelmente as palavras “fácil” e “seguro” não significam muito para você.
Abra o CPU-Z e vá até a aba SPD (Serial Process Detection) para obter os detalhes sobre a RAM que está em sua máquina. Anote números como CAS# Latency, RAS# to CAS#, RAS# Precharge, tRAS e tRC. Reinicie seu computador, entre na BIOS e procure o menu “Performance” ou “Configuration” dependendo do fabricante. Nele você provavelmente irá encontrar uma opção para configuração manual dos parâmetros da memória (em nossa máquina ela se chamava “Memory Overrides”). Entre nele e desabilite a configuração padrão. 
Informe manualmente o clock da RAM, ou selecione a opção desejada em um menu, se ele existir. Faça incrementos pequenos, um de cada vez, seguindo a sequência usada pelos fabricantes (memória RAM DDR3 geralmente está disponível com clock de 1066, 1333, 1600, 1867 e 2133 MHz).
Salve as mudanças, reinicie o computador e faça um teste de stress. Além disso, recomendamos também rodar um utilitário como o Memtest86, que analisa a memória em busca de erros que podem não ser notados imediatamente, mas causar problemas mais tarde.