The Technology a empresa (The Technology the company)

Aos que estão querendo montar seu PC ou comprar um Notebook a The Technology está com diversas promoções, tudo com 1 ano de garantia e nota fiscal. Quem quiser mais informações entre em contato com a empresa: Instagram: @the.technology WhatsApp: +5531999858373 To those who are looking to assemble their PC or buy a Notebook, The Technology has several promotions, all with 1 year warranty and invoice. Whoever wants more information contact the company: Instagram: @ the.technology WhatsApp: +5531999858373

SERIAL DE ATIVAÇÃO WINDOWS 10 TODOS (ACTIVATION SERIAL WINDOWS 10 ALL)

Está é a maior lista da internet de Serial, Chave e Key de instalação do Windows 10 (This is the Internet's largest list of Windows 10 Serial, Key and Key installation)

AutoCAD 2017 + Crack Completo em Português-BR

AutoCAD 2017 + Crack, Completo em Português-BR é o software mais utilizado no campo da engenharia, arquitetura e design de produtos, consagra-se como uma das ferramentas de desenho técnico mais completas e profissionais disponíveis no mercado.

SketchUp Pro 2017 + V-Ray + Crack – Português

SketchUp Pro 2017 foi desenvolvido para os estágios conceituais do projeto, com uma estrutura 3D muito fácil de aprender. Numa analogia, SketchUp Pro pode ser considerado “o lápis do desenho digital”.

SSD: conheça mitos e verdades do hardware e tire suas dúvidas

Com aumento na popularidade do SSD, alguns mitos sobre o componente de armazenamento acabaram se espalhando pela Internet, desinformando muitos e afastando possíveis novos usuários.

Como descobrir (hackear) senha de WIFI no Windows em minutos - WPA/WPA2/WPS

Deseja aproveitar a conexão Wi-Fi super rápida do seu vizinho? Se eles são espertos, provavelmente têm uma senha protegida (caso contrário, você não estaria lendo isso, estaria?).

Como esconder arquivos sigilosos em imagens

Uma antiga técnica para ocultar arquivos e pastas dentro de outros arquivos ainda se mostra bastante útil e funcional no Windows

Este é um truque bem interessante para você camuflar arquivos sigilosos, armazená-los e transferi-los sem que ninguém tenha ciência da existência deles ou de seu conteúdo.
O método consiste em embutir arquivos de dados dentro de um arquivo JPEG (ou outro formato de imagem), de modo que os outros usuários apenas sejam capazes de visualizar a imagem, quando, na verdade, o arquivo comportará os dados que você quer ocultar.
Recomendamos o uso do software WinRAR, num primeiro estágio, por três motivos: primeiro, ele permite reduzir bastante o tamanho de alguns tipos de dados (como documentos do Word); segundo, porque ele pode criar um arquivo único com toda a informação desejada; e terceiro, porque ele oferece um nível adicional de segurança, permitindo que você insira uma senha de acesso ao conteúdo compactado e com uso de criptografia.Assim, mesmo se alguém descobrir o conteúdo oculto dentro do arquivo de imagem, terá muitas dificuldades de abri-lo.
Vamos aos passos:
 
1- Compacte os dados que deseja esconder num arquivo RAR. Abra o Windows Explorer, vá até a pasta onde os arquivos se encontram, clique com o botão direito do mouse sobre eles, selecionando a opção "Add to Archive..." do Winrar, no menu de contexto.

 
2- Escolha o tipo de compressão ("Good" ou "Bom", recomendamos) e o nome do arquivo.

 
3- Na aba "Avançado" ("Advanced") do Winrar, clique no botão para definir uma senha de acesso ("Set Password..."). Defina uma senha e redigite a informação. A seguir, clique em OK, que o programa gerará o arquivo compactado.

 
4- Coloque o arquivo da imagem na mesma pasta do arquivo RAR criado.
5- Agora, você terá que abrir o "Prompt de comando" e acessar a pasta do arquivo Rar e da imagem. Uma dica interessante: localize a pasta, no Windows Explorer, clique com o botão direito do mouse segurando a tecla SHIFT pressionada. Aparecerá uma opção "Abrir uma nova janela de comando aqui" no menu de contexto. Com isso, será aberto o prompt de comando direto na pasta em que a operação será realizada.

 
6- No prompt, digite o seguinte comando, seguido de Enter (repare que o nome dos arquivos varia de usuário a usuário, aqui usamos os nomes dos arquivos utilizados em nosso teste):

Copy /b teste1.jpg + pucpos.rar


7- Agora, você pode levar seu arquivo aonde quiser. Quem clicar no Windows Explorer, visualizará apenas imagem no editor de fotos do Windows; se você mandar o arquivo ser aberto pelo Winrar, o programa pedirá a senha de controle e, checando-a, abrirá os arquivos escondidos.

 
Se os dados que você pretende copiar forem muito volumosos, repita a operação usando vários arquivos de imagem, para não causar desconfiança.

Aprenda a usar o YouTube em segundo plano no seu Android

YouTube é um serviço de vídeos, mas às vezes a gente só quer ouvir o áudio do conteúdo disponível ali. Pode ser uma playlist de músicas ao vivo do seu artista preferido ou uma palestra, por exemplo. O problema é que, pelo menos no Android, o aplicativo oficial do YouTube para a reprodução quando a tela é desligada ou outro app fica em primeiro plano. E agora? Não se preocupe. Nas próximas linhas você descobrirá como rodar o YouTube em segundo plano.

Use o Firefox para Android

Por incrível que pareça, o jeito mais fácil de deixar o áudio de um vídeo no YouTube executando enquanto você realiza outras tarefas no smartphone é acessando o serviço via navegador, não pelo aplicativo oficial. Mas não é qualquer navegador: nos testes feitos para este post, apenas o Firefox (considerando apenas os principais browsers do mercado) deixou o som rolando quando outro app foi colocado em primeiro plano.
Não é só isso: o Firefox consegue manter a reprodução mesmo se você bloquear o aparelho, ou seja, deixar a tela apagada. É verdade que a versão web do YouTube não oferece tantos recursos quanto o aplicativo do serviço, mas dá conta do recado. Você consegue até mesmo executar as playlists de diversos artistas que estão disponíveis por lá.
Firefox para Android
Firefox para Android
Tudo o que você tem que fazer é abrir o Firefox para Android, acessar o endereço youtube.com e buscar pelo vídeo do seu interesse. Ao dar play, você pode abrir outros aplicativos ou bloquear o aparelho que o som continuará sendo reproduzido.

Como escutar áudio do YouTube em segundo plano com o AudioPocket

Por alguma razão, você percebe que o truque do Firefox não funciona no seu dispositivo. Pode ser uma limitação do próprio smartphone ou uma atualização no YouTube que bloqueou o recurso, por exemplo. Mas não é o fim. Você ainda pode usar um aplicativo específico para reproduzir músicas do YouTube (ou o áudio do vídeo que você preferir) em segundo plano.
Há vários apps para essa finalidade, mas aqui vamos usar o AudioPocket, que é gratuito (mas tem versão paga) e fácil de usar. Instale-o a partir da Play Store. É necessário ter o Android 4.1 ou superior.
AudioPocket
Ao abrir o AudioPocket, o aplicativo dará algumas instruções básicas. Depois, você será levado à tela principal do serviço. Ali, você pode acessar o menu para ter acesso, entre outros recursos, ao seu histórico de reprodução e, claro, colar o endereço de um vídeo no YouTube para iniciar a reprodução em segundo plano. Para tanto, basta clicar em Stream logo após inserir o endereço.
AudioPocket
Só que dá para muito trabalho copiar e colar URLs do YouTube no aplicativo, não? Tudo bem. Há um jeito mais fácil de usar o AudioPocket. Abra o app do YouTube e procure o vídeo que você deseja ouvir em segundo plano. Achou? Ótimo. Agora localize o botão de compartilhar (a setinha na parte superior direita do vídeo) e, nele, clique no ícone do AudioPocket (talvez você tenha que fazer rolagem de tela). Pronto. O vídeo foi encaminhado para o app.
AudioPocket no YouTube
Agora é dar play. Você pode executar outros aplicativos em primeiro plano ou mesmo bloquear o aparelho que a reprodução do áudio continuará rolando.

Alternativas ao AudioPocket

Pode ser que o AudioPocket não te agrade. Há dias em que o aplicativo exibe muitos anúncios (que só não aparecem na versão paga, que custa entre R$ 15 e R$ 20) e, por estar em beta (pelo menos na época em que este post foi elaborado), certos recursos ainda não funcionam, com a execução de playlists inteiras.
YouSound
YouSound
Se é o seu caso, você pode testar outros aplicativos, como o Floating Tube e o YouSound, que colocam o YouTube em uma pequena janela flutuante e, portanto, deixam o vídeo em reprodução sempre em primeiro plano.

Hardware e Software



Hardware e Software
                                                                                        Hardware
Hardware é a parte física do computador, ou seja, o conjunto de aparatos eletrônicos, peças e equipamentos que fazem o computador funcionar. A palavra hardware pode se referir também como o conjunto de equipamentos acoplados em produtos que precisam de algum tipo de processamento computacional. A ciência que estuda o hardware é conhecida como arquitetura de computadores. 

Diferentemente do hardware, o software é a parte lógica do computador. Software é a manipulação, instrução de execução, redirecionamento e execução das atividades lógicas das máquinas. Os softwares podem ainda ser classificados em:


- Softwares de Sistemas: permite que o usuário interaja com o computador e suas partes. Ex: firmware, drivers, etc. 
- Softwares Aplicativos: permite que através de seu uso, o usuário faça uma tarefa específica. Ex: editores de texto, planilhas eletrônicas, etc. 
Resultado de imagem para Software

Como usar a Web sem um navegador

 Você está lendo este artigo em um navegador da web. Mas e se você quisesse ficar on-line sem usar um navegador? É mesmo possível? E por que você iria querer?

Os navegadores da Web são incrivelmente populares, mesmo aparecendo em Smart TVs. Mas você sabia que não precisa de um navegador para ficar on-line? Embora sejam vitais para navegar na Web, os navegadores não são totalmente necessários. Isso realmente depende do que você planeja fazer online.

Afinal, a internet existia antes da World Wide Web. Muitas outras ferramentas e protocolos estão disponíveis, permitindo que você fique on-line sem um navegador.

Por que usar a Web sem um navegador?
Tudo soa um pouco louco, não é? Por que alguém iria querer acessar a World Wide Web sem um navegador? Bem, não é tão louco quanto você imagina.

Segurança e privacidade: talvez seu sistema esteja comprometido. Os vírus geralmente limitam a forma como seu navegador pode ser acessado e os sites que você pode visitar. Como alternativa, você pode não conseguir acessar o site que deseja visitar ou baixar o arquivo de que precisa.
Nenhum navegador: seu navegador pode não funcionar. Poderia ter sido desinstalado; talvez você nunca tenha tido um no primeiro colocado (incomum, mas não impossível). Você precisará saber como fazer o download do Chrome (ou do aplicativo de navegação escolhido) sem um navegador.
Navegador bloqueado: existe também a possibilidade de o seu navegador ter sido bloqueado para ficar online. As configurações dos pais estão sendo executadas no seu computador? Você está no trabalho, tentando ficar online quando deveria estar trabalhando? Se assim for, o que segue é apenas para aconselhamento; Você segue todas as instruções nesta página por sua conta e risco.
Conexão lenta: isso pode afetar a capacidade do seu computador de baixar arquivos HTML. Talvez os anúncios ou os scripts do navegador estejam diminuindo sua conexão? O site atinge o tempo limite, mas hospeda um arquivo que você precisa?
PC antigo com navegador incompatível: PCs lentos também têm problemas para executar páginas da web modernas. Isso pode ser um problema de processamento ou pode ser uma dificuldade para o navegador existente navegar em muitos sites populares.
Baixando arquivos sem um navegador
Você não tem navegador, mas precisa baixar um arquivo. Talvez você precise saber como instalar um navegador da Web se não tiver um; talvez seja algo completamente diferente. Você não tem um dispositivo secundário e, certamente, não há como transferir dados de, digamos, um smartphone para seu PC.

Como você vai fazer isso?
FTP
Talvez a maneira mais óbvia de pegar arquivos seja usando o FTP. Você tem duas opções aqui: uma é um cliente FTP dedicado (como o FileZilla). O outro é usar a linha de comando.use the web without a browser
Usando o Windows PowerShell e FTP para baixar um arquivo é simples. Simplesmente insira o comando ftp e use:
open ftp.domain.name
Quando solicitado a inserir credenciais, faça isso. Use os comandos 
put e get para mover dados para e do servidor remoto. 
Preciso de mais? Digite help na janela do PowerShell no prompt do ftp.

Para usar o FTP no terminal Linux, use:
ftp domain.name

Você também pode usar o endereço IP do domínio ou se você 
precisar fazer o login:
ftp user@ftpdomain.name
Se você for solicitado a inserir um nome de usuário e 
uma senha, faça isso. Quando uma conexão é estabelecida, 
use os comandos habituais do Linux para navegar pela estrutura de 
arquivos. Pronto para baixar um arquivo? 
Comece definindo o diretório de download local:
lcd /home/user/yourdirectoryname
Então simplesmente use o comando get:
get filename
Wget O wget é uma função nativa no Linux
(e pode ser instalado usando ferramentas de terceiros no Windows e no MacOS).
Ideal para baixar arquivos e páginas da web, seu uso é o seguinte:
wget www.url-here.com/filename.fileext
PowerShell O Windows PowerShell também pode ser usado para baixar arquivos.
Clique com o botão direito em Iniciar, selecione Windows PowerShell e
digite o seguinte:
$WebClient = New-Object System.Net.WebClient
$WebClient.DownloadFile("https://url-here/file","C:\path\file")
Este comando pode ser usado para arquivos armazenados via FTP ou uma conexão HTTP padrão. 
Se as credenciais forem necessárias, use o comando Invoke-Webrequest
Invoke-WebRequest -Uri https://www.url-here.com/ -OutFile C:"\path\file" -Credential "yourUserName"
Observe que uma caixa de diálogo aparecerá para você digitar seu nome de usuário e senha antes de continuar.
O download só funcionará se suas credenciais forem autenticadas.

TOP 10 – MELHORES SISTEMAS OPERACIONAIS PARA HACKING

KALI LINUX

Desenvolvido pela Offensive Security, na verdade foi feita uma reescrita do BackTrack, a distribuição Kali Linux está aqui no TOP 1 da nossa lista dos melhores sistemas operacionais para hackers, com toda certeza é o mais famoso de todos.
O Kali Linux é um sistema operacional baseado em Debian, vem com mais de 600 ferramentas de testes pré-instaladas, ele é literalmente uma caixa de ferramentas para quem trabalha com segurança da informação.

PARROT SECURITY SO

O Parrot Security OS é também baseado em Debian, foi desenvolvido pela equipe da Frozenbox.
É projetado para hacking ético, teste de penetração em redes, forense de computador, criptografia etc.
Comparado com outros, Parrot Security OS promete um sistema operacional leve. Ele tem uma infinidade de ferramentas muito reconhecidas, você também terá a oportunidade de trabalhar e navegar anônimo por exemplo.
Para aqueles que não sabem, Parrot Security OS é uma mistura de Frozenbox OS e Kali Linux.
Parrot Security OS utiliza dos repositórios do Kali para atualizar suas ferramentas, mas tem seu próprio repositório dedicado para armazenar os pacotes personalizados.
Ele vem com ambiente de desktop MATE, que é uma poderosa interface derivada do famoso Gnome 2.

BACKBOX

BackBox Linux é um sistema operacional baseado na distribuição Ubuntu, com foco na avaliação de segurança e testes de penetração.BackBox Linux vem com muitas ferramentas de análise de segurança que o ajudam na análise de aplicações web, análise de rede, etc. Ele é muito rápido e fácil de usar, é uma distro Linux favorita entre os hackers, vem com um ambiente de desktop completo.
Os repositórios de software são atualizados regularmente com as versões mais estáveis das ferramentas utilizadas por hackers.

SAMURAI WEB TESTING FRAMEWORK

Samurai Web Testing Framework é basicamente um ambiente Linux que roda em LIVE, já vem pré-configurado para funcionar como uma plataforma para teste de rede.O framework contém várias ferramentas de hacking de código aberto, para detectar vulnerabilidades em sites.
Muitas vezes ele é chamado como o melhor sistema operacional para teste de penetração em websites. (Web Penetration Testing)

PENTOO LINUX

Baseado na distribuição LINUX Gentoo Linux, o Pentoo é um sistema operacional para teste de penetração em redes que está disponível como um Live CD instalável de 32 e 64 bits.
Você também pode usar o Pentoo com uma instalação Gentoo Linux. Esta distro utiliza a interface XFCE, e vem com facilidade de o permite salvar todas as mudanças que você faz na sua unidade USB.
Este excelente sistema operacional para hackers vem com uma grande variedade de ferramentas, que se enquadram nas categorias como: Exploit, Cracker, Scanner etc.

DEFT LINUX

É um distro baseada no Ubuntu e foi construído em torno do software DART (Digital Advanced Response Toolkit). Ele vem com muitas ferramentas forenses e documentos que podem ser usados por hackers éticos, testes de penetração, especialistas em segurança de TI e outros.

CAINE

Caine é uma distribuição baseada em Ubuntu, claro que para quem utiliza ela para segurança da informação pode rodar em LIVE também.
Significa “Computer Aided Investigation Environment” e também pode ser instalada direto em seu computador. Esta distro Linux vem com uma ampla gama de ferramentas para ajudá-lo no sistema forense.
Caine vem com um grande número de ferramentas forense e aplicações de análise de rede. Esta distro para hacking ético também utiliza aplicativos comuns como navegadores da Web, clientes de e-mail, editores de documentos etc, para usuário final.

Como lidar com uma conexão lenta à Internet em 10 passos

Uma conexão de Internet lenta pode ser capaz de acabar com o humor de qualquer ser humano. Mas, para evitar altos níveis de stress, é importante aprender algumas maneiras de solucionar os problemas, corrigi-los, ou apenas tentar sobreviver a uma Internet lenta.

10. Verifique sua velocidade (e seu plano)

Às vezes, sua conexão é lenta simplesmente porque você está pagando por uma Internet lenta. Entre no site do seu provedor, ou ligue para a central de atendimento, e descubra exatamente qual é o plano que você assina.
Depois de descobrir por quantos "mega" você paga, entre no site Speedtest.net e execute um teste de velocidade. Se o resultado se igualar ao que você está pagando para sua operadora, então a sua rede está funcionando bem e o problema é apenas o seu plano, afinal você está pagando por uma conexão à Internet lenta. Neste caso, a melhor solução é trocar de plano, afinal o atual não está sendo suficiente para deixá-lo satisfeito.
Agora, caso os números não correspondam ao que você paga para a sua operadora, é preciso ficar atento. Pela lei brasileira (resoluções 574/2011 e 575/2011), os maiores provedores são obrigados a fornecer no mínimo 20% do que você contratou, porém isso só vale no caso de problemas técnicos, o que significa que o cliente deve usufruir de toda a velocidade grande parte do tempo.

9. Verifique seu hardware

Antes de ligar para seu provedor de Internet e xingar todos os atendentes, faça uma rápida redefinição no seu modem e roteador (ou seja, desligue-os e ligue-os novamente) e veja se isso ajuda a melhorar sua conexão. Confira se os outros computadores da sua casa também estão com uma conexão tão lenta quando a sua, afinal, se o problema acontece em apenas uma máquina, é provável que o problema seja o próprio computador.

8. Corrija seu Wi-Fi

Se você estiver utilizando uma rede sem fio, você pode pensar que está com problemas com o seu modem ou provedor, mas pode ser apenas um sinal Wi-Fi fraco. Neste caso, é preciso estudar melhor o posicionamento do seu roteador sem fio, e existem alguns truques para isso. Saiba mais:

7. Desative aplicativos que consomem a largura de banda

Se o seu hardware parece estar em boas condições de funcionamento, confira se todos os outros programas não estão monopolizando a conexão. Por exemplo, se você estiver baixando uma série de arquivos torrent, é normal que a navegação fique mais lenta.
Instalar extensões como o Adblock Plus ou FlashBlock também pode ajudar, pois elas bloqueiam anúncios que monopolizam a banda larga, como aqueles que trazem animações e vídeos. É provável que elas não resolvam todos os seus problemas, mas podem ajudar a melhorar um pouco a lentidão de sua conexão.

6. Experimente um novo servidor DNS

Quando contratamos um provedor de banda larga, nossa internet é automaticamente configurada para utilizar os números de DNS (Domain Name System) oferecidos pela empresa, o que por um lado é muito prático (afinal, não é necessária nenhuma configuração), mas por outro acaba resultando em muitas pessoas utilizando o mesmo servidor, o que afeta não só sua performance como também a disponibilidade do que procura.
Um dos grandes trunfos da era da informação é permitir que tenhamos várias opções para um mesmo serviço, e com servidores DNS não é exceção. O Canaltech criou umtutorial explicando passo a passo como trocar seu servidor DNS.
Troca de DNS

5. Otimize seu navegador

Solucionar os problemas que deixam sua internet lenta pode demorar algum tempo, e enquanto isso você precisa navegar. Neste caso, é preciso otimizar sua web para uma conexão mais lenta. Para isso, utilize versões móveis ou em HTML dos seus sites favoritos, desabilite imagens e utilize recursos como o Opera Turbo. O ideal é criar um navegador secundário, já com configurações mais simples, para ser utilizado em casos como esse.

4. Trabalhe de forma inteligente

Se você depende da sua internet lenta para realizar seu trabalho, é preciso priorizar as tarefas de forma diferente do que faria se a sua internet fosse super rápida. Uma dica interessante é trabalhar fora do seu navegador sempre que possível. Por exemplo, se você precisa enviar um texto, relatório, ou algo do tipo, faça-o primeiro em seu editor de texto favorito em vez de digitá-lo diretamente no seu navegador.

3. Ligue para o seu provedor de Internet

Se você já passou por todas as etapas indicadas até agora e sua velocidade de Internet continua lenta, então chegou a fatídica hora de ligar para o seu provedor.
Importante: lembre-se que o atendente não é o causador dos seus problemas, então tente ter paciência e respeitar o ser humano do outro lado da linha. Além do mais, vamos ser honestos, uma boa pitada de educação não faz mal a ninguém e pode ajudar seu problema a ser resolvido mais rápido.
Telemarketing

2. Encontre um novo provedor

Se o seu provedor não puder satisfazer as suas necessidades (como fornecer a velocidade que você deseja ou um bom atendimento ao cliente), chegou a hora de encontrar um novo provedor. Essa pode ser uma árdua tarefa, mas é importante entender bem o que cada uma das empresas oferece e ver se ela se adequa ao que você precisa.

1. Use seu tempo de maneira produtiva

Se você for uma pessoa de sorte, já deve ter conseguido obter uma Internet rápida e sem stress. Mas, se você não faz parte desse grupo, vamos tentar pensar pelo lado positivo: uma velocidade de Internet mais lenta pode deixá-lo mais produtivo. Afinal, quando as páginas do Facebook demoram dias para carregar, é bem provável que você desista de fazer uma "breve pausa" para espiar o movimento na rede social enquanto deveria estar trabalhando.

Testamos o Steam OS, o novo sistema operacional da Valve

Baseado na distribuição Debian do Linux, o Steam OS é um sistema operacional com uma proposta ambiciosa. O novo produto da Valve não somente pretende acabar com o domínio do Windows no universo dos jogos para PC, como também quer se mostrar uma alternativa viável aos consoles de nova geração como o PlayStation 4 e o Xbox One.
Para isso, a companhia investe em uma versão aprimorada do sistema Big Picture (interface que serve como base para a plataforma) e em um novo controle misterioso, que aposta no fim dos direcionais analógicos como forma de unir as experiências de uso encontradas em computadores e video games tradicionais.
Além de priorizar hardwares próprios (as já famosas Steam Machines, desenvolvidas junto a diversos parceiros), a Valve também pretende permitir que os consumidores montem suas próprias máquinas. Para isso, foi disponibilizado gratuitamente o download do Steam OS — produto atualmente em fase Beta cuja análise você confere neste artigo.

Teste que não é para qualquer um

Conforme a desenvolvedora deixou claro ao anunciar o lançamento da versão Beta do Steam, a instalação do sistema operacional nesse momento não é para qualquer pessoa. Isso porque, além de estar restrita a hardwares equipados com placas de vídeo da NVIDIA (deixando de fora a AMD), a instalação se mostra um processo ligeiramente complicado e que exige a formatação completa do disco rígido (embora seja possível utilizar máquinas virtuais para escapar dessa exigência).
Um requisito do qual não é possível fugir é a necessidade de possuir uma placa-mãe capaz de fazer boot através do sistema UEFI. Para completar, é necessário possuir certo conhecimento dos comandos de terminal do Linux, especialmente caso você decida seguir o segundo processo de instalação listado no site oficial da Valve (o único que conseguimos fazer funcionar).
Cumpridas esses requisitos mínimos e seguidas as etapas listadas pela empresa, foram necessários aproximadamente 30 minutos para realizar a instalação, que resultou em uma tela de login na qual era possível registrar um perfil ou fazer o login em uma conta pré-existente. Para a realização dos testes, utilizamos uma máquina com o seguinte hardware:
  • Processador Intel Core i5-2310 de 2,9 GHz;
  • 8 GB de memória RAM DDR3;
  • Placa de vídeo NVIDIA GeForce GTX 660 com 2 GB de RAM;
  • HD de 1 TB.

Bem-vindo ao Big Picture

Ao entrar no sistema operacional em si, não é preciso utilizá-lo durante muito tempo para perceber que ele se trata simplesmente do modo Big Picture, já disponível na versão Windows da plataforma de distribuição digital. A principal diferença, no caso, é que não é preciso passar por outro ambiente para acessá-lo, já que o boot do sistema leva você diretamente à interface aprimorada para o uso de gamepads tradicionais (embora seja possível navegar por ela usando o mouse e o teclado).
No entanto, mesmo que conserve as opções de navegação básicas já vistas anteriormente, essa versão específica do sistema deixa a desejar em alguns sentidos. Exemplo disso é o fato de que não é possível acessar a configuração dos monitores utilizados, o que faz com que muitas vezes você fique preso em uma resolução com a qual não quer trabalhar (aspecto definido automaticamente pelo sistema operacional).
Além disso, não é uma boa ideia trabalhar com o sistema operacional utilizando múltiplos monitores, já que a plataforma define arbitrariamente qual deles será o principal. Além disso, também é preciso ficar atento ao fato de que, caso você não possua uma placa de vídeo com conexão HDMI, simplesmente não será possível escutar o som de seus jogos — por padrão, a saída sonora está definida para depender de um cabo do tipo.
Apesar dessas restrições, a experiência em geral se mostra satisfatória, mesmo que um pouco reduzida. Acessar a biblioteca de games disponível é um processo fácil, tal qual abrir a lista de downloads ativos ou conferir e comprar as novidades que a empresa oferece em sua loja online.
Outro aspecto positivo é a transição entre a interface e os jogos, que acontece de maneira quase imediata na maioria dos casos. Também chama a atenção a integração que a maioria dos games disponíveis possui com a nuvem, algo que permite inclusive baixar saves das versões para outras plataformas que, na maioria dos casos, funcionam perfeitamente no sistema baseado em Linux.
No entanto, a Valve ainda precisa ajustar alguns pontos para a experiência se mostrar realmente competente. Além de ser impossível navegar por todas as áreas do sistema enquanto um jogo está em segundo plano (somente a lista de amigos está disponível), algumas áreas como o gerenciamento de inventário não estão adaptadas ao Big Picture, o que faz com que uma versão web da interface convencional seja acionada na hora de realizar determinadas tarefas — algo que quebra a ideia de oferecer ao consumidor uma experiência de uso coerente em todos os pontos.

Seleção de games para os amantes do mundo indie

Dispondo atualmente de pouco mais de 300 títulos, o Steam OS possui uma oferta de títulos invejável frente ao que está disponível nas plataformas da nova geração. No entanto, o sistema operacional da Valve sofre em uma questão que, caso não seja resolvida, pode acabar determinando seu fracasso: a falta dos títulos denominados como “Triplo A”.
Embora empresas como a Double Fine e a própria Valve disponibilizem a maior parte de seu catálogo no sistema (com a sentida ausência de Portal 2, no caso da última empresa), a maioria dos títulos disponíveis no momento tem origem no mercado independente. Algo que não é exatamente ruim, vista a qualidade apresentada por games como Super Meat Boy, Starbound, Mark of the Ninja e Rogue Legacy.
No entanto, quem procura experimentar títulos de grande orçamento como Assassin’s Creed, Tomb Raider e BioShock Infinite vai ficar decepcionado. A maioria dos games feitos por grandes produtoras simplesmente não possuem versões para Linux, o que serve como desestímulo para muitos jogadores, especialmente aqueles que gostam de acompanhar séries consagradas.
Uma das exceções fica por conta de Metro: Last Light, game lançado em 4A Games em maio de 2013, que fez uma transição competente — embora imperfeita — para o Linux. A aventura completa foi transposta do DirectX para o OpenGL, processo que garantiu um melhor desempenho em relação à versão Windows.
No entanto, decepciona o fato de essa transformação ter deixado de lado muitos os efeitos visuais que tornavam a versão PC do jogo especialmente atrativa. Mesmo configurada para exibir o máximo de detalhes possível, a adaptação do FPS para o Steam OS possui texturas, efeitos de iluminação e efeitos de antialiasing visivelmente inferiores à sua encarnação no sistema operacional da Microsoft — algo que não pode ser explicado pelo uso do OpenGL que, em sua encarnação mais recente, está no mesmo nível do DirectX 11 em matéria de ferramentas de desenvolvimento.

Debian limitado

Caso você decida dar uma folga na jogatina e usar o computador para realizar outras tarefas, provavelmente se sentirá decepcionado com o que o Steam OS oferece. O modo desktop do sistema lembra muito uma versão simples do Linux que conta com alguns aplicativos pré-instalados e outros cujo processo de configuração deve ser feito de forma manual.
Entre as restrições impostas atualmente pela Valve, está o fato de que não é possível adicionar quase nenhum software extra ao computador, mesmo que ele seja compatível com a distribuição Debian. Em geral, o que temos em mão é uma plataforma bastante fechada e restrita, focada basicamente em oferecer as ferramentas do Steam — nem sequer é possível mudar o navegador-padrão disponível: o IceWeasel, versão simplificada do Mozilla Firefox.
Em geral, o acesso ao modo desktop só deve ser feito caso você precise entrar no terminal do Steam OS ou deseje realizar alguma configuração não disponibilizada através do próprio modo Big Picture. Dessa forma, recomendamos acessar essa área específica do sistema somente em caso de curiosidade ou em situações pontuais, visto as limitações apresentadas por ela atualmente (que provavelmente devem se manter na versão final do SteamOS).

Somente uma parte das Steam Machines

Infelizmente, no momento não é possível ter acesso ao componente responsável por complementar o que é oferecido pelo SteamOS e que deve se tornar o maior diferencial das Steam Machines: o novo controle da Valve. No entanto, mesmo sem essa peça-chave essencial, é possível dizer que, ao menos nesse momento inicial, a companhia parece estar seguindo um caminho promissor.
Apesar de o sistema operacional ainda ter diversas arestas que precisam ser ajustadas, a experiência de uso se mostra incrivelmente estável para um produto em fase Beta. Durante os testes realizados, nos deparamos com um único travamento do sistema (durante o gerenciamento de capturas de tela), e o desempenho geral dos games se provou bastante competente — mesmo que não tenha sido possível observar um aumento substancial de desempenho em relação ao que é oferecido no Windows.
O fato de o sistema se basear basicamente no que é oferecido pelo modo Big Picture deve ser tratado como algo positivo, visto que essa interface oferece acesso rápido e intuitivo às principais funções da plataforma: comprar e jogar games. O único aspecto que nos deixa preocupados é a falta de suporte a grandes títulos, algo com que a Valve terá que lidar rapidamente caso queira acabar com o domínio da Microsoft e estabelecer os PCs como uma alternativa viável para a sala de estar.



Os 12 tipos principais de Linux


1 – Ubuntu

Resultado de imagem para UbuntuO Ubuntu é sem dúvida nenhuma, a distribuição linux mais usada e também a que maior influencia devido ao fato de ser uma das distribuições mais amigáveis e mais fáceis de instalar, usar e também de ser a distribuição mais fácil de se instalar programas e de se obter ajuda para resolver problemas.

2 – Mint

O Linux Mint é uma das distribuições Linux preferidas dos usuários iniciantes no Linux e também é considerada um das distribuições mais fáceis de usar.
O Linux Mint está em primeiro lugar de acordo com o ranking do Distrowatch(estar em primeiro no ranking do distrowatch não quer dizer que seja a distribuição mais usada) mas é possível que caia um pouco por causa da perda de credibilidade que a distribuição teve após a invasão do site e a troca das ISO’s da distribuição.

4 – Fedora

Apesar de não ser tão fácil de usar quanto as distribuições Ubuntu e Mint, é uma distribuição relativamente fácil de usar mas os iniciantes podem ter um pouco de dificuldade.
De qualquer forma é uma ótima distribuição e é patrocinada pela Red Hat.

5 – OpenSuseMuito usado em servidores, seu gerenciador de pacotes é o Yast.

6 – Red Hat Enterprise Linux   É uma distribuição Linux comercial voltada para empresas e é muito usada em servidores e em datacenters.

7 – CentOS

É construída usando o mesmo código do Red Hat Enterprise Linux mas é gratuita, não possui os logotipos oficiais da Red Hat e também não possui suporte da empresa.
Fora isso, o sistema é identico ao Red Hat Enterprise Linux.

8 – Slackware 

Criada em 1993 por Patrick Volkerding, Slackware é a mais antiga distribuição Linux ainda em atividade.O Foco dessa distribuição é simplicidade e estabilidade.Seu objetivo é manterse fiel ao padrão UNIX.

9 – Arch Linux

Resultado de imagem para Arch Linux
É uma distribuição do tipo rolling release, minimalista e otimizada para processador i686.
O seu gerenciador de pacotes é o Pacman.É uma distribuição difícil de ser instalada por usuários iniciantes ou intermediários.

10 – Gentoo

Resultado de imagem para gentoo linuxO principal diferencial dessa distribuição é o fato de os seus pacotes não serem pré-compilados, todos os pacotes são compilados para o hardware do sistema, obtendo assim maior velocidade do que seria possível em outras distribuições.
É uma distribuição voltada apenas para usuários avançados.

11 – Mageia

Resultado de imagem para mageia linuxOcupando o lugar que seria da Mandriva, Mageia é uma distribuição Linux francesa criada por ex colaboradores da Mandriva que criaram uma Organização sem fins lucrativos após uma série de demissões que ocorreram antes da falência da empresa.

12 – Backtrack / Kali Linux

Resultado de imagem para backtrack linuxO Kali é a distribuição mais usada entre as distribuições Linux voltadas para testes de penetração e para analisar a segurança de sistemas e redes de computadores.

Manutenção de PCs: instalando memória e placa de vídeo

Cuidados
Obviamente, não poderíamos deixar de alertar você quanto a alguns cuidados que devem ser tomados ao manusear itens de hardware. Falando especificamente das memórias e das placas de vídeos, é de suma importância que você lembre-se de descarregar a energia eletrostática de seu corpo. Salienta-se ainda que mesmo estando seguro quanto ao manuseio, nunca é recomendável que você encoste nos contatos metálicos das placas ou dos módulos de memória.
Antes de instalar
Se você nunca abriu seu gabinete anteriormente, talvez seja interessante você conferir nosso artigo “Aprenda a abrir o gabinete do seu computador”, que ensina como abrir o computador. Também não mostraremos como retirar as memórias ou a placa de vídeo, pois estes passos já estão devidamente exemplificados no artigo “Manutenção de Computadores: Aprenda a desmontar um PC”.
A primeira coisa a fazer antes de mexer em qualquer item é verificar se você comprou o tipo de placa correta e se sua placa mãe realmente possui os devidos slots para os novos módulos de memória. O segundo passo é muito importante para consumidores que adquiriram placas de vídeo mais modernas (do tipo PCI-Express e que necessitem de energia a mais), pois você deverá averiguar se sua fonte possui os conectores necessários para a placa.
Verifique sua fonteRelembra-se ainda a importância de checar a capacidade da fonte, pois instalar uma placa de vídeo que consuma muita energia em uma fonte que não consiga produzir o suficiente pode gerar sérios danos aos itens de hardware do computador.
Instalando uma placa de vídeo AGP
As placas de vídeo do tipo AGP são um pouco mais antigas e não possuem grandes segredos. Para instalar uma placa nova você deve primeiramente averiguar se sua placa-mãe possui alguma trava no slot. A grande maioria possui essa trava, que serve para a placa de vídeo não ficar mal-encaixada.
Repare que esta placa-mãe não possui uma trava para a placa de vídeo
Em nosso exemplo a placa-mãe é um pouco mais simples do que as comuns, portanto não há esta trava de segurança. Após abaixar a trava, basta você segurar a placa pelas bordas e então encaixá-la lentamente no slot. A placa de vídeo estará devidamente instalada após você ouvir um barulho da trava mudando de posição.
Segure a placa pelas bordas e encaixe vagarosamente. Não esqueça de parafusar a placa após a instalação.
Instalando uma placa de vídeo PCI-Express
A instalação das placas de vídeo PCI-Express não diferencia em muito da instalação das placas de vídeo do tipo AGP. Portanto, caso seu computador já possua uma placa e você esteja substituindo a placa antiga, empurre a trava para o lado (em algumas placas-mãe, a trava deve ser empurrada para baixo) e retire a placa antiga.
Confira o tipo da trava que sua placa possui. Caso necessário, destrave-a para então encaixar a placa de vídeo.
Para instalar uma placa de vídeo do tipo PCI-Express, basta segurar a placa pelas bordas e encaixá-la lentamente. Vale lembrar que se sua placa de vídeo precisa de energia extra, você não pode, em hipótese alguma, se esquecer de conectar o cabo no devido local.
Encaixe a placa no slot e parafuse-a após terminar a instalação.
Detalhe: algumas fontes não possuem o devido conector para placas do tipo PCI-Express, portanto, utilize o adaptador de cabos de energia que deve ter vindo junto com a sua placa de vídeo.
Adicionando mais memória RAM
Instalar memória RAM não é algo de outro mundo, mas tudo deve ser feito com grande cautela. Ao abrir o gabinete você deve ter reparado que sua placa-mãe possui um ou até três slots sobrando para a instalação de novos pentes de memória. A instalação procede da mesma maneira para memórias do tipo DDR ou DDR2.
Mude as travas de posição
Mude as travas de posição, deixando o slot desobstruído (repare na figura acima: no passo 1 as  travas estavam na posição comum, no passo 2 as travas estavam abertas). Segurando o módulo novo pelas laterais, encaixe-o no slot. A memória estará instalada corretamente, caso as travas estejam na mesma posição das demais travas (confira na imagem abaixo).
Instale o novo módulo de memória e trave o pente para que não haja problemas
Medo de instalar?
Caso você esteja com medo de fazer algo errado, talvez seja bom procurar um técnico especializado, ou então, pedir ajuda para aquele seu amigo “fera” de computador. Por hoje é só, continue ligado no Baixaki para aprender mais sobre Hardware, nossa equipe está desenvolvendo outros artigos para a série de manutenção de computadores.