Após sofrer ameaças, North quer acabar com toxicidade no CS:GO

A North, organização dinamarquesa de esports, lançou uma campanha para combater comportamentos tóxicos em jogos competitivos. Chamada de #StopToxicity, a iniciativa surgiu depois que o seu time deCounter Strike: Global Offensive (CS:GO) sofreu uma série de ameaças e ofensas. Os autores das mensagens violentas forem os próprios jogadores causais do game. Desde que foi lançada, no último dia 21, a campanha ganhou destaque nas redes sociais. Entenda, a seguir, toda a polêmica e a iniciativa da North.

North lança campanha #StopToxicity para combater violência e desrespeito nos jogos competitivos — Foto: Reprodução/North

Toxicidade nos jogos

Condutas anti-desportivas, xingamentos, racismo, agressividade por meio de chat e voz e trapaças são consideradas posturas tóxicas nos jogos competitivos. Títulos como League of Legends (LoL), CS:GO e DotA 2 defendem que esses comportamentos ultrapassam o limite da diversão, do respeito e da disputa justa. Por isso, um jogador tóxico pode receber punições por parte das desenvolvedoras e pode até ter sua conta banida para sempre.
As desenvolvedoras defendem que a comunidade também pode denunciar jogadores tóxicos. Por isso, os games oferecem plataformas para relatar casos e analisam as denúncias. O Livro do Invocador do LoL, por exemplo, define um código de conduta e punições para os mais variados tipos de comportamentos tóxicos.

Comportamentos violentos e preconceituosos são proibidos em jogos como CS:GO, Dota 2 e LoL — Foto: Divulgação/Bully Hunters

North e a campanha #StopToxicity

A campanha da North contra toxicidade começou depois que a organização recebeu uma série de mensagens violentas. Os comentários eram ligados a uma derrota que o time de CS:GO da org sofreu no qualificatório europeu da Intel Extreme Masters (IEM) Major Katowice. Como reação, a North fez um tweet comentando o acontecimento e iniciou a #StopToxicity.

A campanha defende três posturas para combater a toxicidade: remover comentários tóxicos das redes sociais quando possível, reportar membros tóxicos da comunidade para autoridades e desenvolvedoras do jogo e banir membros tóxicos da própria comunidade para que eles não possam ver e comentar os conteúdos. O movimento também busca tornar essas posturas em práticas comuns entre os jogadores.
A North anunciou que entrará em contato com organizadores de campeonatos para os ajudar na causa. Organizações consagradas do cenários competitivo, como SK Gaming, Fnatic, G2 Esports, Team Liquid, já apoiaram a causa e aderiram a campanha. Com a recepção positiva, a North decidiu seguir com a campanha e vai estampar a frase #StopToxicity por três meses na camisa de seus jogadores.