PUBG Mobile: algumas curiosidades sobre o cenário competitivo do jogo



PUBG Mobile é a versão para celulares Android e iPhone (iOS) de PlayerUnknown's Battlegrounds (PUBG), um dos Battle Royales mais famosos do mundo. Além de ser sucesso nos smartphones com mais de 100 milhões de downloads, PUBG Mobile também é uma das promessas nos esports em 2019, com premiações milionárias em torneios, como o CLUB OPEN 2019, que terá a grande final em julho deste ano. Veja, a seguir, seis curiosidades sobre PUBG Mobile nos esports.

PUBG Mobile foi eleito o melhor jogo mobile de 2018 na Google Play — Foto: Divulgação/Tencent

Premiações que ultrapassam os milhões

PUBG Mobile já distribuiu, até o momento, mais de US$ 600 mil (cerca de R$ 2,3 milhões) em prêmios. O cenário competitivo do jogo ainda é recente e só começou em 2018. Por isso, o valor se divide entre dois grandes torneios, o campeonato nacional de PUBG Mobile da Indonésia e o PUBG Mobile Star Challenge.
O campeonato nacional de PUBG Mobile da Indonésia teve premiação de US$ 22 mil (cerca de R$ 85,7 mil). As etapas da Europa, Ásia e América do Norte do PUBG Mobile Star Challenge distribuíram US$ 45 mil (cerca de R$ 175,3 mil) cada uma. Já a fase da América do Sul teve premiação de US$ 56 mil (cerca de R$ 219 mil). A grande final, disputada em Dubai, Emirados Árabes, teve premiação de US$ 402 mil (cerca R$ 1,5 milhão).

Tailandeses da RRQ Athena foram os campeões das finais mundiais do PUBG Mobile Star Challenge — Foto: Reprodução/Twitter PUBG Mobile

Asiáticos comandam o cenário de PUBG Mobile


Assim como na versão para PC e consoles, PUBG Mobile também tem o cenário competitivo dominado pelos asiáticos. Tailândia e China são países com mais times vitoriosos. Cada um faturarou US$ 248 mil (cerca de R$ 966,5 mil) e US$ 160 mil (cerca de R$ 623,6 mil) em competições, respectivamente. O tailandês Bawonchai "D2E" Han venceu as finais do Mobile Star Challenge pela equipe da RRQ Athena, enquanto o chinês "1762" foi segundo colocado pelo time da The Comfortable Penguin.


Sucesso na Índia, o cenário de PUBG Mobile é dominado pelos asiáticos — Foto: Divulgação/Tencent

Brasil no cenário de PUBG Mobile

O Brasil é o quinto colocado entre os destaques na cena competitiva de PUBG Mobile. O principal time brasileiro é a BRK Gaming, vencedora da etapa sul-americana do Mobile Star Challenge. A line up é formada pelos streamers e pro players Gustavo "Baraka" Phillipe, Wagner "FUsi", Alessandro "Senab" Prado e o chileno Cristóvão '"Mitek".
O brasileiro Jesley "Caveirinha" Luquete Gomes também esteve no time que disputou o Mobile Star Challenge, mas atualmente está inativo. No Brasil, PUBG Mobile ganhou quatro ligas amadoras em 2019: a Open Series, a Copa Erangel, a Copa Omlet Arcade e a Liga UFK.

A polêmica dos pro players trapaceiros

Em janeiro de 2019, 12 jogadores profissionais de PUBG Mobile foram banidos por trapaça: Avalon, Smitty, Papaya, Cabecao, TEXQS, S1D, swalker, zuppaa, Houlow, sezk0, THZ e Fr_Steph. O grupo foi acusado de usar o hack do radar (radar hacking). Cada player recebeu de dois a três anos de suspensão, dependendo de quão grave foi a infração.
Avalon, Smitty, TEXQS e S1D foram banidos por dois anos, pois usaram o hack apenas em partidas públicas. A punição para Papaya, Cabecao, swalker, zuppaa, Houlow e sezk0 foi de três anos por terem trapaceado tanto em partidas públicas quanto em campeonatos. THZ e Fr_Steph também receberam suspensão de três anos por serem cúmplices dos colegas trapaceiros.

Audiência recorde no PUBG Mobile Star Challenge

A grande final do primeiro torneio de PUBG Mobile fez história pela audiência recorde. Ao todo, a competição reuniu mais de 819 mil espectadores, com destaque para o primeiro round. O primeiro dia de disputa registrou um pico de 418,3 mil expectadores. A audiência do torneio foi superior a do primeiro split do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) de 2019, que teve 284,6 mil espectadores.