Zuckerberg se diz confiante em acabar com interferências nas eleições de 2020

O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, diz estar confiante de que a maior rede social do mundo fará melhor em 2020 para impedir que "maus atores" manipulem a eleição presidencial dos Estados Unidos.
"Nós aprendemos muito desde 2016", disse em uma entrevista para o programa de TV americano "Good Morning America" divulgada nesta quinta-feira (4).
"Estas não são coisas que você resolve completamente, certo? Elas são corridas armamentistas contínuas, onde precisamos ter certeza de que nossos sistemas estão à frente dos maus atores sofisticados, que estão sempre tentando vencê-los", afirmou.
Perguntado se ele poderia garantir que não haveria interferência na eleição, Zuckerberg disse: "O que eu posso garantir é que eles definitivamente vão tentar."
Agências de inteligência dos EUA dizem que houve uma extensa operação de influência cibernética russa durante a campanha de 2016, cujo objetivo era ajudar Donald Trump, um republicano, a derrotar a democrata Hillary Clinton. A Rússia negou repetidamente as alegações.
Zuckerberg disse que a gigante da mídia social implementou várias medidas diferentes desde 2016 para verificar qualquer anunciante que está exibindo uma propaganda política e criar um arquivo para que qualquer pessoa possa ver o que os anunciantes estão exibindo, quem eles estão mirando e quanto estão pagando.
As práticas de publicidade no Facebook, a maior rede social do mundo, com 2,7 bilhões de usuários e receita anual de US$ 56 bilhões, estão no centro das atenções há dois anos, em meio ao crescente descontentamento com sua abordagem de privacidade e dados de usuários.