Smartphone com tela holográfica da RED vai para o beleléu

Smartphone com tela holográfica da RED vai para o beleléu

O Red Hydrogen One era um celular de outra dimensão: grande, pesado e ostentado como o primeiro smartphone holográfico do mundo. Acontece que ele não cumpriu com as expectativas e, agora, junto com a aposentadoria do fundador da Red, Jim Jannard, seu projeto foi cancelado.
Em uma publicação do fórum Hydrogen da Red, Jannard explicou que depois de completar 70 anos e ser acometido com “alguns problemas de saúde”, sentiu que era hora de se aposentar. Em um comunicado breve, Jannard agradeceu seus colegas e funcionários e anunciou mudanças nos cargos executivos da companhia.
Sobre o Hydrogen One em si, Jannard disse que o celular continuará tendo suporte, embora não esteja claro se isso significa que o aparelho receberá apenas correções de segurança regulares ou atualizações mais substanciais, como novas versões do Android. Em relação à segunda geração do Hydrogen, que chegou a ser citado em uma publicação de Jannard no começo do ano, o desenvolvimento foi cancelado.

O Hydrogen One custava absurdos US$ 1.300 (que recentemente passou a ser vendido por US$ 650) e nunca alcançou todo o seu potencial. A tela “holográfica” se parecia com o display do Nintendo 3DS e o máximo que conseguia era produzir um efeito interessante em fotos e vídeos com o formato adequado.
No entanto, nem tudo está perdido. Jannard mencionou que a câmera Komodo 6K — que supostamente teria integração com o Hydrogen One — está “prestes a ser lançada”. Embora não haja uma data específica para a chegada da Komodo, será interessante ver se ela consegue dar sobrevida ao smartphone da RED.

0 Comentários:

Postar um comentário