CEO da OnePlus diz que dobráveis ainda não valem a pena

Imagem de: CEO da OnePlus diz que dobráveis ainda não valem a pena

Durante a CES 2020, o pessoal do The Verge aproveitou para fazer uma entrevista com Pete Lau, CEO da fabricante chinesa de smartphones, OnePlus. A entrevista foi publicada em formato de podcast e questionou Lau sobre novas tecnologias, capacidade de concorrência e aumento de preços.

Os dobráveis ainda não são bons?

Lau disse que a OnePlus analisa os dispositivos dobráveis, mas ainda não considera a possibilidade de lançá-los no mercado.
Para Lau, há uma questão fundamental no funcionamento das telas e no mecanismo de dobradura desses equipamentos. Ele disse que a tecnologia não está madura o suficiente e que, portanto, as vantagens dos dobráveis ainda não superam as desvantagens.
Mesmo no Motorola Razr, cuja dobradura faz muito menos vinco que em outros dobráveis, ainda há os mesmos desafios para superá-lo, como o próprio material usado nos painéis.

Abordagem de câmeras e competitividade

Quando perguntado sobre câmeras de smartphones, Lau respondeu que não acredita que o número extra de sensores seja, necessariamente, o mais importante. Para ele, o mais importante são os recursos. Definidos os recursos, aí sim, analisa-se a necessidade de adicionar um sensor extra.
Sobre poder competir com a Apple e a Google, que têm desenvolvido seus próprios algoritmos de software para câmeras, ele disse que a OnePlus trabalha em conjunto com as melhores companhias do setor, e que essa parceria será suficiente para que a empresa concorra de igual para igual com outras gigantes.

Aumento de preços

The Verge perguntou a Lau se, com o aumento dos preços dos smartphones, teríamos um flagship da OnePlus custando US$ 1 mil em algum momento.
Lau disse que o aumento de preços é uma tendência porque os dispositivos estão ficando cada vez mais poderosos e cheios de recursos. No entanto, a OnePlus tem uma abordagem diferente de investir em marketing, o que a faz economizar e repassar essa economia para seus clientes.

0 Comentários:

Postar um comentário