Internet quântica se aproxima da realidade com experimento chinês

Imagem de: Internet quântica se aproxima da realidade com experimento chinês

Transmitir informação equacionando grandes distâncias com velocidade alta e curto período de tempo sempre foi um desafio em busca da internet perfeita. Uma equipe de cientistas chineses venceu mais uma etapa nessa direção ao enviar dados entre duas memórias quânticas a quase 50 quilômetros de distância.
O feito, registrado por pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia da China, marcou um novo recorde de distância no entrelaçamento de duas memórias quânticas. Se viável, o processo pode marcar o nascimento de um novo sistema de comunicação baseado em uma internet totalmente quântica.
Se você não sabe o que é entrelaçamento quântico (uma conexão entre duas partículas, independentemente de onde elas estão), assista a esse vídeo.
O experimento, apesar de lidar com conceitos ainda desconhecidos, foi relativamente simples. Duas estações idênticas foram montadas em um único laboratório, cada uma delas gerando fótons pelo uso de um laser atravessando uma nuvem de átomos de rubídio – se você viu o vídeo vai entender que cada partícula estava em sobreposição (se você não viu, pense no gato morto/vivo de Schrödinger).
gato shcrodinger
Os fótons foram enviados para uma terceira estação, em um laboratório a 11 quilômetros de distância. Ali, instantaneamente, reproduziram na terceira nuvem a conexão de emaranhamento original das nuvens atômicas distantes. A ligação das duas nuvens originais foi transmitida então para outra nuvem, dessa vez, a 50 quilômetros.

Repetidor quântico de internet

O trabalho de Xiao-Hui Bao, Jian-Wei Pan e seus colegas, eles reconhecem, precisa ser aprimorado antes que se pense em criar um repetidor quântico (como um repetidor de sinal da internet). Para o físico e líder da equipe de cientistas Xiao-Hui Bao, “ainda há um longo caminho a percorrer para que um repetidor quântico funcione em situações reais de longa distância.”
Seu colega Jian-Wei Pan concorda. “As nuvens atômicas ainda não mantêm seus estados quânticos por tempo suficiente para permitir a ligação múltipla necessária em um repetidor quântico. Nosso grupo está trabalhando nisso, mas acho que uma verdadeira rede de internet quântica está a pelo menos uma década de distância.”

0 Comentários:

Postar um comentário