Placas de vídeo com arquitetura RDNA 2 da AMD terão ganhos de até 50% e Ray Tracing



A AMD anunciou as suas novidades para os próximos anos. Um dos principais destaques ficou pela confirmação da atualização da arquitetura gráfica, que está sendo chamada de RDNA 2. Segundo a Lisa Su, CEO da AMD, a tecnologia vai integrar a próxima geração de GPUs da empresa, e vai melhorar a eficiência em até 50%, em relação ao RDNA. Além disso, a empresa trará - pela primeira vez - Ray Tracing.
A nova arquitetura vai permanecer com a litografia de 7nm, mas de forma otimizada, chamada de 7nm+ (7nm EUV). Segundo a AMD, ele oferece um aumento da densidade em até 18%, em relação ao 7nm DUV, além de outras melhorias. Isso pode significar uma diminuição nos custos de produção, que também acarretariam em valores de mercado mais baixos. Além de preços menores, as velocidades de clock podem ser mais altas. 
Outro investimento que foi feito para o RDNA 2 é o Ray Tracing em tempo real e variable rate shading (VRS), ou sombreamento de taxa variável. O objetivo é competir de forma direta com as GPUs disponibilizadas pela Nvidia, igualando os recursos presentes. As duas tecnologias são padronizados pela Microsoft, com as APIs DirectX 12 DXR e VRS.
O anúncio falou ainda que o RDNA 2 vai contar com hardware dedicado para Ray Tracing diretamente na matriz. O software conta com a API DXR 1.1 padrão. A nova arquitetura estará disponível para os consoles de próxima geração, tanto da Sony como Microsoft
O VRS ainda não estava presente na arquitetura da AMD. Esse recurso é responsável por permitir que seja aplicado diferentes taxas de detalhes de sombreamentos em áreas 3D. Tanto a Nvidia como a Intel já implementaram o VRS nível 1, que é padronizado pela Microsoft. A linha GeForce traz ainda o Nvidia Turning, que eleva ainda mais a tecnologia.
Ainda não foi detalhado como será implementado o VRS nas próximas placas da AMD. Apesar disso, a empresa já confirmou que o RDNA 2 estará presente para todos os tipos de GPUs. Isso quer dizer que estará disponível para desktop, gráficos profissionais para criadores, para dispositivos móveis - como notebooks e tablets -, além de estar presente nos gráficos em nuvem, como para Stadia, por exemplo.
A AMD também aproveitou para anunciar que já está investindo em RDNA 3. Apesar da empresa já ter falado que está desenvolvendo a próxima geração, ela ainda não falou qual será a litografia usada. No gráfico é possível ver apenas que ela será "aprimorada". O que pode significar 7nm ++ ou 5nm. Essa atualização, se os planos da empresa se confirmarem, deve acontecer até o fim de 2022.

0 Comentários:

Postar um comentário