Produção em massa de memórias DDR5 acontecerá ainda este ano

Memória RAM: para que serve?

A sul-coreana SK Hynix revelou muitos detalhes sobre a nova geração de memória RAM, DDR5, cuja produção em série será lançada ainda este ano. A nova geração promove um aumento na densidade e velocidade de trabalho, mas também inclui o suporte a ECC (correção de erros), que anteriormente era encontrado somente em módulos de RAM especializados. Como a SK Hynix enfatiza, sua memória DDR5 foi desenvolvida em conjunto com o comitê JEDEC e está em total conformidade com os requisitos do novo padrão.
De acordo com a SK Hynix, o DDR5 fornece mais do que o dobro da largura de banda em comparação com o DDR4 e, de DDR3 para DDR4, a largura de banda aumentou 33% (de 1600 Mbps para 2133 Mbps). Com o DDR5, o objetivo do SK Hynix é aumentar a largura de banda de cada DIMM em mais de 50%.
Os chips DDR5 irão operar em velocidades de 3200 a 8400 MT / s (megatransferência por segundo) e sua capacidade será de 8 a 64 Gbps – quatro vezes mais que os chips DDR4 atuais. A SK Hynix planeja começar com cristais de 16 e 24 Gbit fabricados usando a tecnologia de 10 nm. O fabricante de chips considera a conquista do modo DDR5-4800 como seu principal objetivo.
Na tabela de especificações, o DDR5 varia de 3200 a 8400MHz, enquanto a DDR4 trabalha, de acordo com os parâmetros oficiais da JEDEC, entre 1600 a 3200 MHz. Vale observar que vários fabricantes oferecem módulos DDR4 na casa dos 5000 MHz, entretanto, você não verá módulos DDR5 rodando a 8400 MHz logo de cara, mas quando a tecnologia amadurecer, há uma grande chance de que essa frequência super elevada seja alcançada. Os módulos DDR5 operam a uma voltagem de 1,1 V (a DDR4 é de 1,2 V), alcançando assim um aumento de 20% na eficiência energética.
Em relação a chegada desses módulos para o consumidor final, isso não deve acontecer antes da segunda metade de 2021, alinhado ao lançamentos chips Ryzen baseados em Ryzen 4 pela AMD e Alder Lake pela Intel. Segundo a IDC, no próximo ano a memória DDR5 ocupará 22% do mercado total de DRAM e, no final de 2022, sua participação aumentará para 43%

0 Comentários:

Postar um comentário